Google+ Followers

quinta-feira, 24 de maio de 2012

A Parábola do argueiro e a trave Mateus7:1-5 e Lucas6:41-42



 


«Não julgueis, para que não sejais julgados; porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e a medida de que usais, dessa usarão convosco. Por que vês o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que tens no teu? Ou como poderás dizer a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás claramente para tirar o argueiro do olho do teu irmão.» (Mateus 7:1-5)[3]


 




 
Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, trasbordando, vos porão no regaço; porque a medida de que usais, dessa tornarão a usar convosco. Propôs-lhes também uma parábola: Porventura pode um cego guiar outro cego? Não cairão ambos no barranco? O discípulo não é mais que seu mestre; mas todo o discípulo quando for bem instruído, será como seu mestre. Por que vês o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu? Como poderás dizer a teu irmão: Deixa, irmão, que eu tire o argueiro do teu olho, não vendo tu mesmo a trave que está no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás claramente para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão.» (Lucas 6:41-42)[3]


Nos ensinou o Amado Mestre Cristo Jesus que todos nós temos dificuldades e  podemos superá-las em companhia dos nossos irmãos da terra, se não nos enganarmos com o nosso orgulho, pois esta terrível chaga do coração nos faz olhar só para os defeitos dos outros, enquanto encobre nossos erros com enganosa manobra. O homem assim acha-se de tal sorte superior e com mais direitos que seu próximo, que esquece-se que poderia ter atitudes até piores se estivesse no lugar do irmão que se estar a criticar. Reflitamos e nos coloquemos na posição do outro, e tentemos nos analisar com real sinceridade. Nos ensinou o nosso Salvador dessa maneira que devemos ter a verdadeira indulgência para com nossos irmãos, não significa que não se pode ver uma falha do irmão, mas que não se deve agir com maldade , apontando os defeitos com a intenção de apenas criticá-lo, mas procurando de forma generosa e carinhosa ajudá-lo a superar, mas o mandamento do Mestre é mais profundo pois a verdadeira indulgência, também contempla a aceitação do irmão caso ele não aceite nossa ajuda. Porque assim daremos passos para a conquistas dos nossos verdadeiros tesouros, já que  muitas vezes alguns defeitos na madeira não impedirá o bom construtor de realizar sua obra, e algum trecho do campo com pedras não impedirá que a boa semente faça crescer a boa plantação nas outras partes do campo, deixando a cargo da Divina providência de Deus Pai, e dos esforços individuais de cada um, a retirada dessas ultimas falhas. Por isso irmãos aceitemos a tarefa que Cristo Jesus nos confiou como bons Cristãos, que é junto com nossos irmãos trilharmos o caminho da Salvação e com nosso exemplo de vida, também ajudarmos os que estão perdidos, para que encontrem as veredas que levam a Deus. Que Deus abençoe a todos!!! Amém!!