Google+ Followers

domingo, 6 de janeiro de 2013

A parábola dos dois filhos Mateus: 21:28-32



 


 
Mas, que vos parece? Um homem tinha dois filhos, e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha.
Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas depois, arrependendo-se, foi.
E, dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; e, respondendo ele, disse: Eu vou, senhor; e não foi.
Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram-lhe eles: O primeiro. Disse-lhes Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus.
Porque João veio a vós no caminho da justiça, e não o crestes, mas os publicanos e as meretrizes o creram; vós, porém, vendo isto, nem depois vos arrependestes para o crer.
(Mateus 21:28-32)


 
 
 
 
Com mais uma alegoria, Cristo Jesus nos explica que  mais importante que a palavra é a atitude. Vemos que ele compara Deus mais uma vez com um Pai, dono de uma vinha, que convoca seus filhos para o trabalho. O primeiro filho parece mais rebelde, responde ao pai, nega seu convite, mas com  o tempo arrepende-se de sua atitude, e obedece a ordem de seu pai. Já o segundo filho, tem palavras doces, na frente do pai concorda e trata-lhe com toda reverência, mas depois de sair da sua presença, a atitude é diferente, revelando-lhe a hipocrisia, que concorda com os lábios mas o coração e a atitude mostram o contrário . Pondo-nos a refletir, nos pergunta o eterno Mestre: Qual dos dois fez a vontade do Pai?
Neste trecho da Boa Nova, Cristo se referia aos ensinamentos de João Batista, que as margens do rio Jordão pregava:´´ Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus``(Mateus 3:2-3/ Mc 1:2-6/ Lc 3:1-9), como já teria sido profetizado por Isaías, que asseverava que antes do Messias viria um  outro profeta para lhe preparar os caminhos: ´´Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus``(Isaías 40:3). Esta era a ordem de Deus, convocando os filhos da casa de Israel para o arrependimento e a correção de suas atitudes, pois só os que aceitassem a vontade do Pai, com a chegada do Messias receberiam o Reino dos Céus. Muitos publicanos( judeus responsáveis pela cobrança de impostos, muito mal vistos pelo povo comum, tidos como ladrões e corruptos) e prostitutas acreditaram em João Batista e se arrependeram de seus pecados e passaram a corrigir suas atitudes , sendo estes a referência ao filho respondão mas que por fim fez a vontade do pai. E afirma Cristo que os hipócritas que se achavam sem pecados, cheios de se na aparência, e que pareciam que faziam a vontade de Deus, mas seu  coração era orgulhoso, seriam preteridos no Reino dos Céus aos pecadores que se arrependeram.
Mas esta singela parábola pode nos ensinar muito do proceder de Deus para com seus filhos na Terra. Vemos que Jesus coloca que o Pai não obriga seus filhos a seguir suas ordens, apesar de estar nos chamando a todo momento, ele deixa que nós escolhamos segundo nosso coração os caminhos que queremos percorrer, deixando claro que o homem tem livre arbítrio sobre sua vida, mas com isso só receberá a Salvação aquele que amar a Deus e seguir seus caminhos com sinceridade no coração. Várias passagens do antigo testamento nos mostram Deus Pai nos convidando a seguir seus caminhos sem nos obrigar, entre elas: Deuteronômio (5:32-33), Ezequiel (18:30).
Mas chama-nos a atenção dois momentos nas Santas Escrituras que deixam claro que o povo de Deus tem que escolher espontânea e decisivamente se querem continuar a seguir a Deus:
A primeira passagem ocorre quando ao chegar em Siquém, Josué reune os anciãos, os juízes,  os oficiais de todas as tribos de Israel e se apresentam diante de Deus perguntando: ´´Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao SENHOR. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.(Josué 24:14-15). Como  a resposta foi continuar a servir a Deus: ´´Então respondeu o povo, e disse: Nunca nos aconteça que deixemos ao SENHOR para servirmos a outros deuses;(Josué 24:16). Com esta decisão, a Aliança com Deus é renovada e sobre uma grande pedra é posta como testemunha.
Também no Novo Testamento, mais especificamente no Evangélio de João(6:66-67), após o belíssimo Sermão do Pão da Vida encontramos Cristo Jesus questionar seus apóstolos se queriam continuar  a seguí-lo, já que muitos dos discípulos o haviam abandonado.
Por isso queridos irmãos sigamos a Deus por nossa vontade, pois seu amor é eterno e inigualável, dependendo de nós se entregar a ele. Amém!