Google+ Followers

sábado, 26 de janeiro de 2013

Jesus põe à prova os que queriam seguí-lo Lucas 9:57-62

 
 
 



´´E aconteceu que, indo eles pelo caminho, lhe disse um: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que fores.
E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.
E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor, deixa que primeiro eu vá a enterrar meu pai.
Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus.
Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa.
E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.``
 
 
                                     

 
     
   
Duros parecem estes ensinamentos de Jesus, se tomados ao pé da letra. Mas a missão do Cristo de salvação da humanidade através do seu exemplo e sacrifício de amor, mostrando-nos o caminho para se chegar a Deus, era demasiadamente importante, por isso seus seguidores necessitavam ter o mínimo de compromisso com a edificação do Reino dos Céus.
O primeiro que lhe pede permissão para seguí-lo não impõe qualquer condição e espontâneamente deseja-lhe acompanhar, mas Jesus não engana os corações, nunca prometeu que seria fácil a conquista do Reino sublime, por isso este ensinamento: ´´O filho do homem não tem onde reclinar a cabeça`` indica que o verdadeiro servo do Senhor muitas vezes pode se sentir abandonado pelo mundo, sem ter com quem contar, sem ter descanso, e sem privilégios materiais, mas nunca será desamparado pela graça do Pai. Em outras ocasiões o Mestre Galileu também nos asseverou: ´´Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada;Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; E assim os inimigos do homem serão os seus familiares (Mateus 10:34-36)``. Indicando que muitas lutas seriam necessárias para seus verdadeiros discípulos, e que até mesmo pessoas queridas e também da própria família podiam não os compreender e se opor a divina obra do Senhor.


 
 



 
Jà o segundo homem foi convocado por Jesus, mas este reagiu diferente, pois mesmo não negando o chamado do Cristo, alegou que não podia seguir-lhe imediatamente pois tinha que ´´enterrar seu pai``. Muitos interpretam esta passagem literalmente, achando que mesmo com o pai morto o homem foi ver Jesus passar pelo caminho. Este tipo de interpretação não condiz com os costumes dos povos de época e com a próprias Escrituras Sagradas, pois todos que procuravam por Cristo,que tinham um ente querido próximo da morte era para lhe pedir sua interceção Divina para salvar a vida que agonizava, o que não era o caso deste homem no caminho, que não pede pela vida do seu pai mas pede pra cumprir sua tarefa de filho e cuidar de seus pais até a morte para aí sim dedicar-se as tarefas celestes. Mas Jesus também pregava aos discípulos que o homem devia procurar primordialmente o Reino de Deus e os Tesouros Celestes, como nos asseverou no inovidável Sermão do Monte: ´´ Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas as coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6:33)``, e ´´Ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração(Mateus 6:20-21).`` Por isso sua resposta a este homem nos parece tão pertubadora: ´´ Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos``, porque o Messias quer nos dizer da urgência da vivência da Boa Nova, que muitos são os corações, já como campos prontos, que esperam as sementes divinas do Evangélio. Não podendo o servo fiel preoucupar-se com convenções humanas em detrimento do trabalho do Reino, pois por outro lado muitos são os que já se encarregam com as tarefas terrenas, mas também é da revelação misericordiosa e consoladora de Deus Pai que a seu turno aqueles que ainda não despertaram para a importância da vida espiritual(os mortos) também encontrariam os caminhos para Deus, porque ´´Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.(Eclesiastes 3:1)``, e Jesus também nos ensinou:´´E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia(João 6:39)´´.






O terceiro homem por sua vez oferece-se como discípulo, mas primeiro pede para submeter sua decisão de seguir o Cristo a permissão da família, notadamente o pai, pois ainda hoje e principalmente no Oriente médio do primeiro século a autoridade do pai da família era suprema, por isso o filho não poderia sair de casa, isto é, ´´despedir-se da família`` sem a autorização dos seus. Mais uma vez usando uma imagem figurada comum a realidade agrícula daqueles povos compostos por pescadores, pastores e lavradores, Jesus enfatiza novamente a responsabilidade da edificação do Reino Celeste nos corações dos homens, já que esse compromisso só deveria ser assumido por discípulos comprometidos com trabalho árduo, cansativo, que exige disciplina, perseverança e atenção, da mesma forma que o trabalho no arado, que para abrir os sulcos na terra dos corações que servirão de berço para as sementes Divinas do Evangelho, não podem ser manuseados por trabalhador distraído e descuidado, por isso nos asseverou nosso eterno Mestre: ´´Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.``
Por isso, irmãos, para sermos verdadeiros seguidores de Cristo, tenhamos ânimo para os labores evagélicos e edificantes, pois o trabalho duro da sementeira é glorificado pela colheita dos frutos benditos do Reino!Esta é a promessa, e Fiel é Deus!Amém!