Google+ Followers

sábado, 9 de junho de 2012

A sogra e o sábio Autor : Domínio público




 
  Conta-se em uma velha parábola chinesa, que após o casamento Lyng foi morar na casa de sua sogra. Nas tradições da antiga China, a sogra deve ser servida pela nora. Por isso Lyng, apesar de amar muito seu marido começou a antipatizar com a sogra, e o relacionamento foi deteriorando até Lyng nutrir pela sogra um verdadeiro ódio. Mesmo assim Lyng continuava servindo sua sogra, pois poderia perder o marido se não seguisse a tradição. Até que este sentimento atingiu tal extremo de horror, que Lyng procurou um sábio. O velho de longas madeixas e barba brancas chamado de Wang, pergunta-lhe:
-- Por que me procuras, minha jovem?
-- Ah!! Senhor, sábio tenho verdadeiro ódio de minha sogra, não consigo mais viver com ela, por isso imploro-lhe que me ensines uma maneira de matá-la - respondeu Lyng apressadamente.
Após alguns instantes de meditação, falou-lhe o sábio:
-- Bem se sabendo que a relação entre ambas é terrível, se sua sogra morre derrepente logo será você a principal suspeita dessa fatalidade.
-- Que faço eu , mestre? Indagou Lyng aflita.
-- Bem, vou te dar estas ervas venenosas, que tu servirás a tua sogra em dias alternados, com seu veneno suave e acumulativo , após seis meses as forças de sua sogra começarão a se esvair e ela irá  enfraquecendo até morte certa. Mas um detalhe, para que ninguém suspeite de te, tratarás tua sogra como a uma mãe, darás todo o apoio que ela precisar, a servirás com alegria e espontaneadade, so dirás a ela palavras carinhosas e confortadoras e quando ela morrer, chores muito. Porque aí todos dirão, mas que nora maravilhosa ela teve durante a vida, e nenhuma culpa recairá sobre você.
   Jubilosa com o plano do sábio, voltou Lyng resignada a por em prática tudo que ouvira. No dia seguinte, serve Lyng a primeira dose do chá, e vai anotando na caderneta, e a sogra continuava implicando com Lyng, mas agora ela não ligava e retribuia as palavras da sogra com carinho e afabilidade, pois sabia que seria por pouco tempo, dentro em breve não mais teria a sogra a lhe pertubar.
   E assim foram passando os dias, as semanas e ao final do 3º mês, notou Lyng que a sogra havia mudado já não era tão exigente, não reclamava de tudo, e até vez que outra chama-lhe de filha. E aos poucos Lyng começou a simpatizar com a sogra, que coisa curiosa, muitas vezes se pegava refletindo que a sogra não seria tão má quanto parecia.
    Mas continuou dando-lhe o chá, pois pareceu-lhe melhor, já que se agora esta bom com a sogra, sem ela seria ótimo.
     Chegado o 5º mês, a relação das duas tinha mudado, Lyng percebeu que adorava a sogra, e que esta lhe tratava igual uma filha, com carinho e atenção nunca imaginado. Mas a sogra caira doente.
      E no seu desespero corre Lyng novamente ao encontro do sábio Wang, e pede-lhe:
-- Ajúda-me , ó sábio, minha sogra esta morrendo!
-- Mas não era isso que você queria? Perguntou o sábio espantado.
-- Não, mestre, me arrependo de meus antigos pensamentos, minha sogra mudou, me trata com carinho e atenção, sendo hoje a única mãe que tenho, por favor não deixe minha sogra morrer.
-- Estais enganada Lyng, não foi apenas tua sogra que mudou, tu também mudaste, teu grande inimigo era o ódio que nutria pela tua sogra, e quando mudaste de postura, tratando e servindo tua sogra com carinho, plantaste o verdadeiro amor entre ambas, que esta se manifestando neste momento com toda essa preocupação.
-- Mas ela esta muito fraca, será que agora tem jeito de salvá-la? indagou Lyng.
-- Sabendo que o teu sentimento de ódio era temporário, e que o tempo e a boa vontade se encarregaria de limpá-lo e subistituí-lo pelo verdadeiro amor, dei-lhe ervas na verdade vitaminosas, que estavam a fortalecê-la, para que tivessem tempo de se reconciliarem.
-- Mas que faço eu com as ervas?
-- Continue dando-lhe, agora dê-lhe diariamente, para que se reestabeleça o mais pronto possível, pois com o seu carinho, ela viverá.
     E assim saiu Lyng com esta importante lição, que o nosso inimigo muitas vezes está em nós, são os sentimentos de ódio, inveja, rancor, amargura e tudo que nos separa de Deus, mas muitas vezes nós projetamos no outro. Só que a verdadeira cura, se dá com o amor, que apaga todos os defeitos e nos faz renascer para Cristo Jesus e seus ensinamentos. Pois ele resumiu todas as leis e os profetas em duas máximas: E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.Este é o primeiro e grande mandamento.E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.(Mateus 22:37-40) Amém, irmãos!!